sábado, 5 de setembro de 2009

Lady, permita-me uma parêntese


Talvez estejamos numa época em que o ser diferente tornou-se normal e, por consequencia, ser normal tornou-se o diferencial.
Com isso não defendo as máquinas humanas imitando-se a vicenda, bem pelo contrário, acredito que cada um deva seguir sua estrada e sua loka mente para não jogarmos uns aos outros num mundo cinza e de papel.
Mas olhe ao seu redor princesinha, tribus, grupos, gangues, chame-os como quiser, todos gritando EU sou diferente, eu sou mais diferente que você e do que aquele outro, minhas idéias de sociedade são mais revolucionária que as suas... perdoe minha ignorância mas hoje como hoje, não consigo definir o que é ser diferente.
Acomodação? é uma opção. Minha mente foi ofuscada por ideais de sociedade submissa? Acho que não.
Mas ainda preciso me convencer que existiu a igualdade para que possamos dar espácio ás diferenças.

1 comentários:

Aiani disse...

as pessoas tentam tanto ser diferentes que sequer percebem que essa procura as leva a serem iguais. ^^

Postar um comentário